Mitologia Grega – Volume I

capavol1ix3

A Importância do Mito para o Homem Moderno

                 O lançamento do livro de Junito de Souza Brandão sobre Mitologia Grega é da maior importância cultural para o Brasil. Escrevo como analista junguiano e psicoterapeuta e desejo sublinhar a atualidade da abordagem mitológica para a compreensão do homem e seu posicionamento no mundo que o cerca. Na verdade, o Mito, como verdade última, é elemento de orientação do ser. O homem, desde suas origens, não produz os Mitos. As idéias mitológicas ocorrem a ele; ele não as pensa, mas é pensado por elas, poderíamos dizer. Os núcleos componentes de todos os Mitos das diversas culturas, os mitologemas, representam estruturas mentais básicas de todos os homens. Estas moléculas estruturais do psiquismo são expressão do inconsciente coletivo (Jung), sempre inesgotável em suas manifestações, sempre presente. Géia, Deméter, Sêmele, “toda a terra fértil”, expressam o arquétipo da Grande Mãe, a origem de todas as formas simbólicas e do próprio ego. Dioniso-Zagreu, Hermes, e Apoio como crianças, o arquétipo da criança, nossas potencialidades do vir-a-ser, nossa criatividade e também nossas regressões patológicas a um infantilismo inadequado. O ciclo dos heróis, Héracles, Teseu, Perseu e muitos mais, o movimento da energia psíquica do inconsciente para a consciência, o herói é sempre filho de um imortal (arquétipo atemporal no inconsciente) com uma mortal (o ego e suas finitudes). Encontramos, enfim, uma infinidade de entidades e configurações no panteão grego que refletem nossas próprias tendências inconscientes. A Mitologia cumpre assim um papel fundamental para a psicologia: ela a move de sua posição puramente conceitual e, portanto, unilateral — pois a existência humana não pode ser abrangida por conceitos teóricos — e a fertiliza com imagens ricas em possibilidades de desenvolvimentos. Teremos assim uma nova psicologia para uma nova compreensão do homem, na qual o irracional também tem seu lugar. Pois o irracional mítico é parte componente do Todo psíquico do ser humano. Por Walter Boechat Diplomado pelo Instituto CG. Jung de Zurique.

BRANDÃO, Junito de Souza. Mitologia Grega – Junito de Souza Brandão. Ed. Vozes Ltda. Rio de Janeiro, Petrópoles – 1986. Mitologia Grega – vol. 1 – Junito de Souza Brandão

História Social de Roma – Alfoldy Geza

Capa História Social de Roma  O livro História Social de Roma trata da ideia do historiador Géza Alfoldy, especialista em História Antiga, que trás uma investigação bastante profunda sobre a sociedade de romana. Na maioria da vida, o autor ficou debruçado em várias obras sobre Roma, é um autor com uma vasta bibliografia científica, com vários livros e artigos, tendo como objeto de estudo a história social que habita nas estruturas sociais da sociedade de Roma. Nesse sentido, o autor se debruça num sistema de estrutura heterogênea, investigando as classes e os conflitos em algumas partes da sociedade.

Alföldy Geza – Historia social de roma

Teogonia: A Origem dos Deuses – Hesíodo

Capa Teogonia a Origem dos Deuses   O livro que hoje conhecemos como Teogonia é a compilação de uma série de narrativas orais que se reúnem sob o nome de Hesíodo e trata da genealogia e hierarquia dos deuses e heróis da mitologia grega. Atualmente, tem-se a visão de que a mitologia foi criada para não apenas explicar a origem do universo, das coisas, do homem, dos costumes e regras sociais, mas também como instrumento ideológico para a manutenção do poder da classe aristocrática na Grécia pré-democracia.

HESIODO. Teogonia – a origem dos deuses